Arquivos diários: 9 de Janeiro de 2016

Cogito Editora e Movimento Café com Poemas promovem o Sarau “Árvores Poéticas”

SARAU-ÁRVORES-POÉTICAS
No próximo dia 13 de janeiro, às 18h, no Café “Saladearte”, no Museu Geológico da Bahia, Corredor da Vitória, a Cogito Editora e o Movimento Café com Poemas, promovem o “Sarau Árvores Poéticas”.

O evento contará com recital de poesia, apresentação musical, outorga de títulos e lançamento do livro “Dante e Beatriz”, de Matheus José. Haverá também uma “Feira de Livros”, produzidos pela Cogito e uma homenagem (Comenda “Prêmio Qualidade a Arte da Bahia”) à banda Papa Léguas pelos os seus 30 anos de atividades musicais!!.

O ponto alto da noite cultural será a decoração com poemas de diversos autores na tradicional mangueira do Museu Geológico da Bahia. O projeto “Árvores Poéticas: devolvendo poesia à natureza” é organizado por Celeste Farias e Leandro Flores, em Belo Horizonte.

SERVIÇO:
O quê: Sarau Árvores Poéticas
Onde: Café “Saladearte” no Museu Geológico da Bahia, Corredor da Vitória – Salvador
Quando: Dia 13 de janeiro das 18 às 22h
Acesso: Entrada franca
Contato: Ivan de Almeida – (71) 9 8796-9027 (WhatsApp)| 9 9279-7560 | 9 9983-8240 Celeste Farias – (31) 9 8891-6063 (WhatsApp)

Ladrão devolve dinheiro na noite de Réveillon e pede perdão

bilhete-ladrao
O ano começou com surpresas para o advogado Eduardo Goldenberg. Na terça-feira (5), ao chegar ao trabalho, encontrou um envelope com quase todo o dinheiro que havia sido furtado na noite de Réveillon – cerca de mil reais. Junto com o montante havia um bilhete deixado pelo ladrão. “Dr. Eduardo, estou devolvendo seu dinheiro que eu peguei da sua carteira no dia 31, em Copacabana. Não dormi arrependido e peço que me perdoe.

Feliz Ano Novo. Só tirei cinquenta reais para comprar uma champanhe pra minha mãe. Fábio”, dizia o texto escrito a mão. De acordo com a Folha, Goldenberg compartilhou sua história no Facebook, que em algumas horas foi curtido quatro mil vezes e recebeu três mil compartilhamentos. O advogado teve a carteira roubada na noite do dia 31, ao chegar em Copacabana, no Rio de Janeiro, para a festa de virada do ano.

“Mal saltamos na estação Siqueira Campos, plau!, senti uma mão estatelada no bolso esquerdo da bermuda cargo que eu vestia e adeus carteira adeus dinheiro”, escreveu Goldenberg. A carteira foi recuperada três dias depois, na própria estação.

Mas foi na terça-feira, quando voltou ao trabalho, que recebeu o envelope com dinheiro. “Entrei, já aflito. Tranquei a porta. Acendi as luzes, sentei-me, pus os óculos, abri com cuidado o envelope e contei, atônito, R$ 967 em dinheiro. Eu só chorava. Quem me protege não dorme”, concluiu o advogado.

Cesta do Povo irá a leilão em março

Desde que foi anunciada a privatização das Lojas da Cesta do Povo em todo o Estado da Bahia, os trabalhadores têm ficado apreensivos com os seus empregos. O governador Rui Costa (PT), que de início deu a justificativa para a privatização da rede de supermercado até então mantida pelo estado.

O governador esclareceu que a rede Cesta do Povo não é rentável, além de ser inviável para o Estado, uma vez que tem que concorrer com a iniciativa privada. No entanto, segundo ele, o estado é obrigado a cumprir o rigor da lei e está sempre abrindo licitações para compra de produtos, ao contrário das empresas privadas.

Com isso, a administração estadual lançou a proposta de privatização desde o início da atual gestão e o leilão está agendado para acontecer no mês de março deste ano. “A única chance dos trabalhadores manterem o emprego é passando a rede para a iniciativa privada e por isso abrimos esse precedente”, pontuou o governador.